terça-feira, 14 de junho de 2011

FRUSTRAÇÕES E ESPERANÇA RENOVADA

Texto como leitura: Lc 24,13-35

1. Uma vida de frustração: Lc 24,13-15

Depois da morte de Jesus os discípulos se encontram no Cenáculo com a frustração e a opressão de seu coração, o drama interior que estão vivendo. Acreditaram em Jesus e o seguiam, mas seus olhos viram com perplexidade Jesus crucificado como um malfeitor. As palavras que ele dizia três vezes que havia de ressuscitar (Lc 9,22. 44-45; 18,31-34) não encontraram mais credibilidade nos discípulos, pois de fato, até agora ele não apareceu.

Dois dos discípulos não resistem mais esse clima sufocante, este vazio tão frustrante e decidem sair do Cenáculo. Os dois discípulos fugiram de Jerusalém decepcionados, se isolaram do resto dos discípulos. Mas quem foge, não é livre. Se eu estiver livre, não vou fazer nenhuma fuga.  Nós esperávamos...”, diziam os dois discípulos de Emaús. Agora não esperam mais nada. Eles entregaram suas vidas para um ideal que os fascinou e fracassaram totalmente. Eles se afastam da comunidade e vão para Emaús, longe do resto dos discípulos. Para os dois a comunidade não é mais crível e, portanto, não tem sentido de estar juntos na mesma comunidade. Perderam a razão para estar na mesma comunidade. A comunidade não os fascinou mais. Eles fugiram de Jerusalém. Os dois discípulos de Emaús se sentem muito frustrados diante da situação.

Frustração é um sentimento de fracasso e decepção que aparece diante de um desejo não realizado ou diante de uma necessidade não satisfeita. Quanto maior for o desejo que quisermos realizar (se não for realizado), maior será o grau de frustração que teremos.

Quando uma pessoa não conseguir realizar seu desejo aparecerão duas emoções opostas nela: a raiva e tristeza. Uma pessoa frustrada, muitas vezes, se torna violenta, brava, estúpida, grosseira e assim por diante. Por trás de uma pessoa brava e grosseira, há uma pessoa frustrada.

E uma pessoa que vive frustrada é, geralmente, aquela que dedicou sua vida a agradar aos outros. Mas é impossível agradar a todos! Para superar a frustração, você deve se atrever a ser uma pessoa digna. Lidere sua própria vida. Liderar-se significa escolher os objetivos que quer alcançar, os pensamentos que vai colocar na sua mente, os sentimentos que terá e os que você vai anular porque até agora não servem. Libere-se de toda culpa. A culpa é um sentimento daninho que rouba seu sorriso, sua paz, a segurança em si mesmo e não permite avançar. Tire a culpa de sua cabeça por completo e comece a viver sua vida com muita esperança.

Nunca se por vencido. Winston Churchil dizia que nunca diga “sou jovemou “sou velhopara conseguir seus sonhos. Você não é velho pela idade que tem. É velho quando não tem um propósito claro na sua vida e quando deixa de sonhar. Não importa quanto tempo você esteve no chão. Levante-se, pois a vida o chama para vivê-la na sua dignidade como um maior dom. A terra onde você caiu sempre serve de apoio para você se levantar novamente e continuar sua jornada.

Além da raiva, outras reações diante da frustração são tristeza e resignação. Uma pessoa triste se torna melancólica, retraída e solitária. Sua vida gira em torno do isolamento e da introversão. Essa dor que sente por achar que não consegue superar pode levar a pessoa a se arriscar cada vez menos na vida e a se conformar com sua situação atual, embora não fique satisfeita com sua vida, porque vai querer evitar a todo custo uma nova decepção.

Quem vive e se sente frustrado acumulará tanta dor em sua alma que em determinado momento, necessitará adormecer suas emoções. Tentará por todos os meios fugir dessa dor, por isso tentará fazer qualquer coisa que, mesmo temporariamente e com conseqüências graves, trouxer um pouco de alívio para sua vida e permita sentir-se melhor. As pessoas que não toleram a frustração costumam recorrer: vício em drogas, vício no álcool, vício em jogos (jogadores compulsivos), autocastigo ou automutilação, e qualquer outro comportamento compulsivo.

É importante recordar que nem tudo que você quer é o que você necessita e nem tudo que você necessita você vai conseguir no momento em que desejar. Mas apesar de tudo, nunca renuncie a suas metas e por isso, continue em frente! Não permita que as desilusões da vida (cada um de nós se desilude em algum momento na vida) abortem seu potencial e o afastem de seus sonhos. Você é vencedor por natureza (espermatozóide vitorioso) e por isso, você é maior que suas desilusões. Procure fazer as coisas e estar com as pessoas que acrescentam valor à sua vida. Tome cuidado com as pessoas tóxicas que são capazes de envenenar sua vida. Nosso coração é o assento das emoções e o centro de controle de todas as portas de nossa vida. Se a pessoa equivocada e tóxica entrar na cabine de controle (isto é, na sua intimidade) abrirá as portas que devem estar fechadas e fechará as que devem estar abertas. Não permita que os demais determinem como você deve viver. Analise e filtre bem qualquer conversa. Uma pessoa tóxica vai intoxicar seu ambiente.

Então, os dois discípulos de Emaús estão totalmente dominados pelos sentimentos negativos. Por isso, não conseguem ver algo positivo na sua vida. Eles andam sem parar de falar, como se não tivesse outro assunto para ser tratado (Lc 24,14-15).

Nenhuma provação, nenhuma dificuldade é insuperável, mas os sentimentos negativos podem convencer qualquer um de que nãomais nada a fazer. Nãonada que seja pior do que ser enganado pelas próprias percepções emocionais. Você se sentirá melhor, se corrigir os seus pensamentos para equilibrar seu espírito. Embora você não controle os ventos da vida, você ainda pode guiar seus pensamentos. Os sábios dizem que nenhuma montanha resiste para as pernas bem treinadas para escalá-la, da mesma forma que nenhuma provação ou nenhuma experiência negativa derruba uma alma saudável. Sofrimento e alegria são companhia freqüente de quem persevera no caminho do crescimento.

Além disso, podemos ter algum problema na vida, mas em muitas coisas não temos problema. Se você tiver problema nos pés, por exemplo, lembre-se de que seus olhos ou seus ouvidos ou outras partes de seu corpo ainda estão bem. Se nos concentrarmos nas muitas coisas nas quais estamos muito bem, ganharemos forças suficientes para superar qualquer problema. Se nós contarmos com Deus nestas situações, nãoproblema que não seja superado com Deus, poispara Deus nada é impossível” (Lc 1,37).

Escreva seus sentimentos de frustrações na vida em geral e na sua comunidade em particular. E escreva suas esperanças e suas metas para superar suas frustrações. Leia os salmos: 66 (67); 64 (65).

2. Jesus É O Bom Pastor Que Não Abandona Suas Ovelhas. Textos: Ez 34,11-12; Lc 15, 4-6; (Lc 24,15-20.21); Jo 5,1-9

Quem de vós que tem cem ovelhas e perde uma, não deixa as noventa e nove no deserto e vai atrás daquela que se perdeu, até encontrá-la? E quando a encontra, alegre a põe nos ombros 6. e, chegando em casa, reúne os amigos e vizinhos, e diz: ‘Alegrai-vos comigo! Encontrei a minha ovelha que estava perdida! ’” (Lc 15,4-6).

Pois assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu mesmo buscarei minhas ovelhas e tomarei conta delas. Como o pastor toma conta do rebanho quando ele próprio se encontra no meio das ovelhas dispersadas, assim irei visitar as minhas ovelhas e as resgatarei de todos os lugares em que foram dispersadas em dia de nuvens e de escuridão” (Ez 34,11-12).

Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles. Os seus olhos, porém, estavam como vendados, incapazes de reconhecê-lo. Então Jesus perguntou: “O que andais conversando pelo caminho?” Eles pararam, com o rosto triste, e um deles, chamado Cléofas, lhe disse: “És tu o único peregrino em Jerusalém que não sabe o que aconteceu nestes dias?”. Ele perguntou: ‘Que foi?’ Eles responderam: ‘O que aconteceu com Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e diante de todo o povo’. ... Nós esperávamos que fosse ele quem libertaria Israel; mas, com tudo isso, faz três dias que todas essas coisas aconteceram!’” (Lc 24,15-20.21).

Ao escrever que “o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles” Lucas quer nos dizer que Jesus é o Bom Pastor que jamais abandona todos nós suas ovelhas. Jesus Cristo, conhecedor e sabedor das angústias dos dois discipulos, se aproxima deles para alcançá-los cumprindo o que dizia Deus: “Eis que eu mesmo buscarei minhas ovelhas e tomarei conta delas”.

O Senhor Jesus Cristo se aproxima do homem quando este tem a carne e o espirito abatidos e doentes, incapaz de se sustentar  e por isso, nem sequer pode aproximar-se de Deus. Sejam quais forem os motivos para nos afastarmos de Deus e para nao reconhecê-Lo, Ele vem ao nosso encontro percorrendo exatamente os mesmos caminhos que nos afastam dele: “Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles”. Sabemos que é esta situaçao que provoca a encarnação-aproximaçao de Jesus. Ele nasce o nosso nascimento, ele vive nossa vida e ele morre nossa morte. Ele continua a estar conosco mesmo que não sintamos sua presença. Ele se faz próximo de todos nós para nos acompanhar, para nos curar e nos devolver a esperança de um final feliz. Ele é o Deus-conosco.

Ele chega até o homem porque o homem, por si próprio, nao pode chegar até Deus. Por isso, ninguem pode perder a esperança porque Jesus Cristo está sempre proximo do homem. Onde nao podemos chegar, Deus chega (cf. Jo 5,1-9). Deus atua quase imperceptivelmente. Ele vai mudando nossa forma de pensar, de atuar, de nos relacionarmos com os demais. Jesus vitorioso sobre a morte é o único que pode chegar até o mais profundo de nossos males. Por isso, a conversão consiste em deixar que Deus nos alcance.

3. É preciso que tiremos as máscaras e derrubemos os muros de nossa vida para voltar a viver na alegria

Os seus olhos, porém, estavam como vendados, incapazes de reconhecê-lo”, o evangelista Lucas nos relatou (Lc 24,15-16; cf. Lc 9,45; 18,34).

Deus, neste texto, está nos dizendo que os olhos do homem, igual à sua mente estão cegos e embotados para reconhecê-Lo porque muro inquebrantável entre Ele e s. Por causa de nossas limitações humanas, em todos os sentidos, estamos ou somos cegos de olhos e de mente diante do mistério de Deus. O pecado levanta um muro entre Deus e o homem. O muro está ai de forma que quando nos dirigimos a Deus com nossa melhor vontade nos é impossível traspassá-lo. O homem, por muito que aprenda academicamente a Bíblia não pode traspassar o muro. Uma coisa é a mente de Deus e a outra é a mente do homem; uma coisa é o olho de Deus e a outra é o olho do homem. O próprio Deus nos diz através do profeta Isaías: “Meus pensamentos não são vossos pensamentos; vossos caminhos não são meus caminhos” (Is 55,8). radica a realidade da carência da humanidade.

muro entre Deus e nós por causa de nossos pecados, mastambém muros entre nós, seres humanos. Eu colocaria apenas aqui muros em forma de máscaras que nos impedem de os outros nos verem como somos e de nós vermos os outros como são.

Se eu oculto e disfarço minha verdade e aparento ser o que não sou, permanecerei na superficialidade e não conseguirei chegar ao âmago. Santo Agostinho rezava: Que eu me conheça, Senhor, para que eu possa Te reconhecer”. Ao ocultar nossa realidade não poderemos nos encontrar com Deus, porque estaremos apresentando a Ele uma aparência e não nossa verdadeira pessoa que somos.



Khalil Gibran, um dos maiores escritores libaneses, escreveu no seu livro O Louco, sobre um homem que se libertou de suas máscaras:

Perguntais-me como me tornei louco. Aconteceu assim: Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras tinham sido roubadas- as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas- e corri sem máscaras pelas ruas cheias de gente, gritando: “Ladrões, ladrões, malditos ladrões!”. Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim. E quando cheguei à praça do mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou: ‘É um louco!’. Olhei para cima, para vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua. Pela primeira vez, o sol beijava minha face nua, e minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe, gritei: ‘Benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!’. Assim me tornei louco. E encontrei tanta liberdade como segurança em minha loucura: a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido, pois aquele que nos compreende escraviza alguma coisa em nós”.

Sabemos muito bem que nossa vida em sociedade está cheia de máscaras, brilhos, enfeites, dissimulações e aparências. Como conseqüência, acabamos nos preocupando mais com a imagem do que com a realidade que somos e mais com a aparência do que com a transparência.

Se nos descuidarmos, começaremos a fabricar muitas máscaras para nossa vida a fim de evitar as mudanças mais profundas, mudanças que poderiam nos trazer felicidade, paz e serenidade.

Quais as possíveis máscaras que precisamos entregar ao Espírito Santo, o Sol de nossa liberdade, para que as destrua?

Pode ser a máscara da força, que criamos para esconder nossa fragilidade, em lugar de procurar nos fortalecer por dentro com o poder do Espírito Santo. A máscara da força nos torna agressivos, rebeldes, autoritários, ambiciosos sem limites. Ao nos tornar assim na verdade estamos ocultando nossos medos e inseguranças que continuam nos prejudicando por dentro.

Pode ser a máscara da bondade porque apreciamos que os outros nos digam que somos bons e humildes e não toleramos que pensem que somos egoístas ou orgulhosos. Então, para aparentar bondade, nunca dizemos “não”, sempre fazemos o que os outros nos pedem, nunca discutimos. Mas no íntimo do coração sofremos uma grande violência, porque tudo isto não é autêntico. O Espírito Santo nos transforma para que ousemos ser respeitosos e amáveis, mas autênticos e sinceros, sem pretender dar mais do que podemos nem esconder nossas verdadeiras convicções. A verdade nos torna livres (Jo 8,31-32).

Pode ser a máscara da serenidade como se fôssemos pessoas imperturbáveis, que não nos aborrecemos nem nos afligimos por nada, igual a uma vendedora de mercados numa loja, sempre tranqüila. Mas por dentro sofremos, e essa raiva reprimida acaba por nos queimar intimamente e a nos adoecer. O Espírito Santo nos ensina a expressar o que sentimos, sem agredir os outros nem nos queixar. Precisamos ter sinceridade de manifestar o que temos por dentro. assim quebraremos nossas máscaras e derrubaremos muros que nos separam de Deus e que nos separam entre nós.

Deus envia Seu Filho para romper o muro e fazer-se visível (cf. 1Jo 1,1-4). A Palavra se faz visível para que nossos olhos e nossa mente possam abrir-se ao mistério de Deus. A plenitude da criação do homem acontece no mistério da Encarnação de Seu Filho, Jesus Cristo, nascido como um de nós para romper o muro de separação (cf. Lc 3,21-22; Mc 1,9-11). Ele vai tirar as vendas de nossa vida que nos faz incapazes de caminhar para a felicidade.

O fruto da presença de Jesus no meio dos discípulos que conversam sobre ele é a abertura do entendimento, e o horizonte ampliado sobre a vida: “Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras”, assim comenta o evangelista Lucas. Essa abertura prepara para o reencontro na fração do pão onde eles vão reconhecer novamente Jesus Cristo. E este reconhecimento traz de volta sua esperança e seu ânimo para voltar imediatamente para a comunidade que eles abandonaram até então.

Santo Agostinho dizia: “Deus, de Quem separar-se é morrer, a Quem retornar é ressuscitar, com Quem habitar é viver. Deus de Quem fugir é cair, a Quem voltar é levantar-se, em Quem apoiar-se é estar seguro. Deus, a Quem esquecer é morrer, a Quem buscar é viver, a Quem ver é possuir. Deus, a Quem a nos impele, a esperança nos aproxima e a caridade nos une” (Solil. 1,1,3). “Deus não se torna maior pelo conhecimento de quem O encontra, mas quem O encontra torna-se maior por ter conhecido a Deus(Serm. 117,2,3).
        Quais são suas possíveis máscaras? Reze o Salmo 139 (138).

Vitus Gustama, SVD

"A esperança é o sonho do homem acordado." (Aristóteles)

"Por mais longa que seja a noite, o sol volta sempre a brilhar" (anônimo)

"Esperança é a paciência com a lâmpada acesa." (Tertuliano)

"Mesmo as noites totalmente sem estrelas podem anunciar a aurora de uma grande realização." (Martin Luther King)

Nenhum comentário: