domingo, 18 de setembro de 2011


SER LUZ PARA OS DEMAIS

Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011

Texto de Leitura: Lc 8,16-18

No sábado passado refletimos sobre a parábola da semente que é a Palavra de Deus que é capaz de produzir frutos abundantes se soubermos escutá-la com um coração nobre e generoso.

Os breves ensinamentos de Jesus no texto do evangelho de hoje são continuação do ensinamento no sábado passado. “Ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ao contrário, coloca-a no candeeiro, a fim de que todos os que entram vejam a luz”, assim Jesus nos diz hoje. Jesus quer que sejamos luz que ilumine os demais. No Sermão da Montanha Jesus define nosso ser como sal e como luz: “Vós sois o sal da terra. Vós sois a luz do mundo” (Mt 5,13-14). Trata-se de uma presença indispensável para os demais. Um cozinheiro pode colocar todos os tipos de tempero na comida, mas basta o sal estar ausente, o resto fica sem sabor. Basta colocar o sal na comida, mesmo que não tenha outros temperos, a comida fica saborosa. O sal com outros temperos faz com que a comida fique mais saborosa ainda. Alguém pode querer andar para qualquer lugar, mas sem a luz nada poderá acontecer. Se cada cristão tiver consciência de sua importância neste mundo, ele não perderá tempo para iluminar a vida dos outros e para dar sabor à vida dos demais. Sua vida é para os demais.

Mas o cristão precisa ser, primeiro, iluminado pela Luz divina que é o próprio Cristo (Jo 8,12) para que possa ser reflexo dessa Luz para os outros. Ao contemplar Cristo, Luz do mundo, o cristão se torna um reflexo de Cristo para os demais. O que o cristão recebe de Deus é para a edificação dos demais. Ele não pode viver só para si: “Ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama”. Ele precisa ter consciência de sua missão como luz para os demais: “... ao contrário, coloca-a (luz) no candeeiro, a fim de que todos os que entram vejam a luz”. O cristão deve fazer-se publico, mostrando seu rosto como cristão para iluminar as pessoas ao seu redor. Se temos uma certa tendência de privatizar a fé, Jesus nos convida a darmos testemunho diante dos demais publicamente de acordo com a vocação de cada um de nós na sociedade: político, médico, artista, esportista, professor e assim por diante. Sua presença em qualquer lugar deve ser como a presença da luz: iluminar.

Se o cristão não viver de acordo com sua essência como sal da terra e luz do mundo vai se cumprir nele o que Jesus diz hoje: “A quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; e àquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter”. Os dons que não se fazem frutificar se perdem. Os músculos que não se fazem atuar se atrofiam. E a fé se apaga aos poucos quando não se coloca em prática.

Sendo luz do mundo e sal da terra, o cristão se tornará um amigo que sabe animar e dizer uma palavra orientadora para as pessoas ao seu redor. No dia de nosso Batismo acendemos uma vela no Círio pascal que é o símbolo de Cristo. É um gesto que nos recorda nosso compromisso, como batizados, de dar testemunho dessa luz diante das pessoas que conosco convivem ou trabalham. Somos Igreja missionária para evangelizar.

 P. Vitus Gustama,svd

Nenhum comentário: