terça-feira, 20 de novembro de 2012

ZAQUEU E CONVERSÃO-SALVAÇÃO

 
Terça-feira, 20 de Novembro de 2012
 
Texto: Lc 19,1-10

Naquele tempo, 1Jesus tinha entrado em Jericó e estava atravessando a cidade. 2Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico. 3Zaqueu procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era muito baixo. 4Então ele correu à frente e subiu numa figueira para ver Jesus, que devia passar por ali. 5Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima e disse: “Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa”. 6Ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria. 7Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo: “Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!” 8Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor: “Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres, e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais”. 9Jesus lhe disse: “Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão. 10Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido
     *************************      
"Se amas as coisas terrenas, és terra. Se amas a Deus, não tenhas medo de dizer: és Deus (Santo Agostinho, In epist. Joan. 2,2,14). Amando a Deus nos tornamos divinos; amando ao mundo nos tornamos mundanos" (Idem, Serm. 121,1).

Para entender o evangelho que nos fala de Zaqueu é necessário que notemos previamente os seguintes detalhes: 1). O cego do caminho que Jesus curou no evangelho anterior era pobre e não tinha nada para abandonar a fim de seguir a Jesus (Lc 18,35-43). Pois bem, se o convertido for rico, como ele se comportará com seus bens? 2). Sabemos que os publicanos receberam o perdão de Jesus. Qual implicação deste perdão diante dos seus bens? O episódio sobre a conversão de Zaqueu quer responder a esta duas perguntas. Nele descobrimos o que a graça de Jesus exige de um homem rico.


1.  Hoje a salvação entrou nesta casa...”

Zaqueu deu à sua família o melhor que podia lhe dar: o sentido da justiça, a honradez humana e o amor aberto para os outros. Ainda que devamos supor que seus filhos possam sair economicamente prejudicados, mas precisamos assinalar que Zaqueu lhes deixou a melhor de todas as heranças: o sentido da justiça, a honradez humana e o amor aberto para os outros: “Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres e, se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais”, promete Zaqueu. Por isso, pode se afirmar que em sua casa, em sua família entrou a salvação de Deus e Jesus mesmo se encontra dentro dela. Podemos dizer que a verdadeira casa de Jesus é aquela onde a pai e a família em conjunto cumpre a exigência representada e resumida na atitude de Zaqueu.

Será que a salvação também entrou em sua casa como entrou na casa de Zaqueu? A salvação cristã implica umas conseqüências sociais e econômicas. Zaqueu abandonou sue velho estilo de vida, evidentemente perdeu seu dinheiro, mas encontrou sua honradez humana, o sentido da justiça e o amor para com seu próximo, especialmente para com os necessitados. Do ponto de vista humano vale a pena perder-se por aquilo que se ganhar. Se ontem Jesus devolveu a vista a um cego, hoje ele devolveu a paz para uma pessoa de vida complicada.


2. Conversão e Humildade

A conversão é viver a humildade e na humildade. O humilde sempre vive a verdade e na verdade. Converter-se é aceitar novamente a verdade sobre a minha vida. É perigoso perder a salvação a serviço de uma vaidade humana. Zaqueu reconhece sua baixa altura e não tem vergonha de subir numa árvore feito uma criança a fim de poder ver Jesus, o Salvador. A verdadeira humildade nasce da visão que temos da santidade de Deus e de nossa própria pequenez diante desta santidade. A humildade não nasce apenas de nossa consciência sobre nossa pecaminosidade que nos leva a um coração arrependido e contrito, mas também da visão da glória, da majestade e da beleza de Deus. É estar aberto inteiramente diante de Deus.


3. “Hoje eu devo ficar na tua casa

Os demais homens excomungam Zaqueu da convivência por uma má fama. Jesus vai comer com ele em sua casa.

Devemos, como cristãos, facilitar a reabilitação das pessoas que tiveram maus momentos em sua vida, sabendo descobrir que de baixo de uma possívelfama, tem muitas vezes valores interessantes. Podem serpequenos de estatura”, como Zaqueu, mas em seu interior há o desejo de “ver Jesus” e podem chegar a ser autênticosfilhos de Abraão”. Um verdadeiro cristão jamais opta por um caminho de condenação ou de julgamento, mas por um caminho que facilite a chegada dos outros próximos de Deus. Quem condena o outro, se condena. Quem salva o outro, se salva também: “Saiba”, diz São Tiago, “aquele que fizer um pecador retroceder do seu erro, salvará sua alma da morte e fará desaparecer uma multidão de pecado” (Tg 5,20).   
       

Vitus Gustama,SVD

Nenhum comentário: