segunda-feira, 23 de dezembro de 2013




Feliz Natal” é a frase comum no Natal. A própria palavrafelicidadederiva do latim “felicitas”, substantivo proveniente do adjetivo “felix”, que quer dizer frutífero, fértil, fecundo e, por extensão, próspero. Sêneca dizia: “A vida feliz é aquela que está em conformidade com sua natureza”. O mais elevado do ser humano é ser homem, ser pessoa humana. Não é por acaso que Aristóteles dizia: “A felicidade está em viver bem de acordo com as virtudes. Vivendo de acordo com as virtudes, poderemos ser felizes e possuiremos o melhor dos bens”.


Por que nos saudamos mutuamente com a fraseFeliz Natal”? PorqueHoje nasceu para vós um Salvador, que é o Cristo Senhor” (Lc 2,11). Isto significa que Deus não nos abandona, independentemente de nossa situação, porque cada um é amado por Deus eternamente (Jr 31,3), e precisamos acreditar neste amor e viver nele e dele. Isto significa que o Senhor está conosco. A expressão “O Senhor está conosco” está carregada de afeto. Esta expressão é típica da teologia da aliança. E a expressão máxima do Deus-conosco para sempre é a encarnação de Deus na nossa história (cf. Jo 1,14). O essencial da encarnação, portanto, é o amor. Somente o amor não se deixa enfatuar na felicidade própria, pois não se incha de orgulho. Somente o amor não sente o pungir da consciência perversa, pois não se ostenta. Somente o amor é que não fica molestado pela felicidade alheia, pois não é invejoso. “Somente o amor transforma em suave tudo quanto é duro” (Santo Agostinho). Deus ama o homem para torná-lo bom e feliz. Deus renuncia a si mesmo por amor. Deus veio para participar dos nossos sofrimentos e indicar o caminho do amor para não sofrermos sem sentido. Para nossos sofrimentos, nossa dor, nossa solidão, nossas lágrimas, nosso sentimento de abandono e nosso desconsolo, Deus vem nos dizer: “Eu te amo. Tu não estás sozinho, pois eu estou contigo eternamente. Por isso, venho fazer minha tenda no meio de ti, no meio da humanidade”.


Através da encarnação, Deus veio participar da vida humana e dar valor à nossa vida. Por isso, a felicidade não está no isolamento ou na separação dos outros, e, sim, na participação e na partilha. Tudo o que se separa tende a morrer. Por isso, se nós conseguirmos ver no rosto do outro o nosso próprio rosto, e sentir os sentimentos de alegria e tristeza do outro como os nossos, se formos capazes de ver no coração do outro o nosso coração, estaremos realmente celebrando o Natal de Jesus, um Natal com Deus. Se procurarmos Deus sem encontrar o irmão, ainda não encontramos o Deus verdadeiro, pois o verdadeiro Deus se encontra quando o irmão é encontrado (Mt 25,40.45).


Portanto, o nosso Natal será feliz não por aquilo que compramos ou vendemos, mas por aquilo que renovamos dentro de nós. Natal feliz é saber ser mais humano em casa, ser irmão no trabalho, na convivência e em qualquer lugar. Natal feliz é saber acolher com carinho os filhos, como Nossa Senhora acolheu Jesus carinhosamente. Natal feliz em casa é quando o pai e a mãe e os filhos vivem unidos no amor e na fraternidade. Celebrar o Natal significa deixar de lado a inveja, o ódio, os ressentimentos, os ciúmes, o desejo de vingar-se para lançar os braços em abraços, a boca em beijos, o coração em centro de afeto. Natal feliz é aquele em que o nosso coração passa a atuar como “uma gruta de Belém”, acolhendo Jesus e fazendo-o irradiar-se a todos na mensagem do amor. Jesus não quer nascer em estrebarias, mas quer nascer nos corações aquecidos pelo amor. Quer nascer no seu trabalho, em suas conversas, em suas palavras, em seus comentários e em sua casa. Quer nascer num aperto de mão para pedir e dar o seu perdão. Faça de sua vida familiar e profissional um eterno Natal pelo seu amor e . Feliz Natal para ti, minha irmã e meu irmão. “Deus te ama” é a mensagem do Natal.

P. Vitus Gustama, SVD

Nenhum comentário: