sexta-feira, 31 de julho de 2015

06/08/2015
TRANSFIGURAÇÃO DE JESUS: UMA MENSAGEM DA ESPERANÇA

06 de Agosto
 

Evangelho: Mc 9,2-10

Naquele tempo, 2 Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e os levou sozinhos a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. E transfigurou-se diante deles.  3 Suas roupas ficaram brilhantes e tão brancas como nenhuma lavadeira sobre a terra poderia alvejar. 4 Apareceram-lhe Elias e Moisés, e estavam conversando com Jesus. 5 Então Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: “Mestre, é bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. 6 Pedro não sabia o que dizer, pois estavam todos com muito medo. 7 Então desceu uma nuvem e os encobriu com sua sombra. E da nuvem saiu uma voz: “Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!” 8 E, de repente, olhando em volta, não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus com eles. 9 Ao descerem da montanha, Jesus ordenou que não contassem a ninguém o que tinham visto, até que o Filho do Homem tivesse ressuscitado dos mortos. 10 Eles observaram esta ordem, mas comentavam entre si, o que queria dizer “ressuscitar dos mortos”.
---------------------------

O relato da transfiguração podemos encontrar também em outros dois evangelhos sinóticos (Mt 17,1-13; Lc 9,28-29) e numa versão independente dos evangelhos, mas somente fragmentária, que se encontra em 2Pd 1,16-18.
   

A transfiguração de Jesus é a resposta de Deus ao escândalo causado nos discípulos, mostrando-lhes antecipadamente, ainda que seja só num momento rápido, a glória de Jesus Cristo e a glória futura dos que seguem pelo caminho da cruz por causa de Jesus Cristo. A transfiguração é a glorificação antecipada de Cristo na presença de seus três mais íntimos (Pedro, Tiago e João). Os discípulos somente superarão o escândalo da “necessidade” da Paixão depois da Páscoa e de Pentecostes: depois de verem Jesus na sua glória de ressuscitado e de serem fortalecidos pelo Espírito Santo(cf. At 2,1-13).
   

Com a transfiguração os discípulos encontram em Jesus as duas faces do mistério da salvação. De um lado, mostra-se a face que causa medo, pois falam-se do sofrimento, da humilhação e da morte. Ninguém quer sofrer. Todos lutam contra sofrimento, pois o sofrimento sempre significa um prenúncio da morte. Por isso, todos fazem qualquer coisa para ficar longe do sofrimento. Não é de admirar que mais tarde Pedro preferirá negar Jesus a confessar-se discípulo do mesmo por medo de ser morto (cf. Mc 14,66-72). Do outro lado, mostra-se a face gloriosa de Jesus: a ressurreição e a glória. Por isto, em cada um dos três Anúncios da Paixão acrescenta-se o anúncio da ressurreição “ao terceiro dia”(cf. Mc 8,31;9,31;10,34). O Deus de Jesus é Aquele que mostra logo no início o fim e mostra logo a vitória final logo no início da luta. Ele mostra logo a vitória final de Jesus. A vitória garantida anima qualquer um a lutar até o fim sem se cansar. A vitória garantida lhe dá força para lutar até o fim.


Algumas mensagens:


I.                  Transfiguração: Uma Mensagem De Ânimo E De Esperança


A transfiguração de Jesus é a resposta de Deus para os discípulos, desanimados diante do anúncio da paixão e morte de Jesus. Deus quer mostrar-lhes antecipadamente, ainda que seja só num momento rápido, a glória de Jesus Cristo e a glória futura dos que vivem fielmente segundo a vontade de Deus ainda que tenham que atravessar o caminho de sofrimento. Através da transfiguração de Jesus, Deus quer nos dizer que a vida plena e definitiva espera, no final do caminho, todos aqueles que, como Jesus, forem capazes de colocar a sua vida ao serviço dos irmãos.


Podemos dizer que a transfiguração é o grito de Deus para não ficarmos desanimados na nossa vida, pois a lógica de Deus não nos conduz ao fracasso, mas à ressurreição, à vida definitiva, à felicidade sem fim. Cada um de nós precisa parar da agitação cotidiana para escutar esse grito de Deus.    


A visão do triunfo, não é para afastar da luta, mas para dar ânimo, a fim de que não desistamos da luta no meio do caminho, pois a vitória está nos esperando. Olhemos sempre para a vitória esperada para podermos ficar animados na nossa luta apesar de tanta dificuldade e obstáculos neste caminho rumo à vitória. A mensagem da transfiguração é de otimismo radical e de esperança firme, e não ilusória. Jesus é nosso companheiro de caminhada até a luz final (Jo 14,6). Com ele somos capazes de superar a prova da fé e experimentar a libertação gratificante da auto-renúncia e da cruz na quaresma de nossa vida, no caminho para a Páscoa com Cristo.


II.              Transfiguração E Escuta

 
Se o plano de Deus jamais desconhece o fracasso, então devemos saber escutar a Sua Palavra permanentemente. No topo da Montanha ressoa a voz divina para os três apóstolos: “Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!”


Escutar é a primeira forma de fé e de oração, antes que dizer palavras ou entoar cantos. Escutar significa fazer próprio o que se proclama e o que se escuta. Escutar também significa atender, ir assimilando o que se ouve, reconstruir interiormente o conteúdo da mensagem. Deus sempre quer falar conosco e sobre nós, de todas as maneiras. Mas é preciso ter disposição para escutá-Lo. Deus sempre tem alguma palavra para minha vida, para minha família, para meu casamento, para minha profissão, para minhas preocupações, para minha atual situação etc. toda vez que eu escutar sua Palavra. Por isso, eu preciso escutar essa Palavra, pois diz a respeito da minha vida com seus problemas.


Escutar é uma das atitudes mais cristãs. Somente os que têm a humildade é que são capazes de escutar. O autossuficiente e o orgulhoso não sabem escutar e não querem escutar; eles querem somente ser escutados.


III.            Transfiguração- Montanha Alta

 
A transfiguração acontece em uma alta montanha. A “montanha alta” simboliza o lugar de encontro do céu e da terra, lugar privilegiado para a revelação de Deus e a oração dos homens, recorda igualmente a revelação de Deus no Sinai (cf. Ex 19-20). A montanha, por ser um ponto elevado sobre a parte plana da terra, sempre foi considerada em todas as antigas religiões como um símbolo da “subida” do homem até Deus e como o sinal da manifestação ou epifania de Deus. Deus se manifesta no alto e o homem deve subir até Deus, abandonando uma vida medíocre, pois Deus está acima de nossos esquemas de viver.


Por isso, para o homem, subir a montanha significa superar-se a si mesmo, transcender-se, elevar-se um pouco mais além da rotina. É a transcendência que não será conseguida sem atravessar um caminho sinuoso, longo e escuro. A fé é o caminho da renúncia e da morte de nós mesmos para que Deus possa se manifestar através de nós e para que Deus possa nos transformar ou nos transfigurar. Somente com a morte de nós mesmos é que Deus pode anunciar e prometer uma vida nova para nós. Subir até Deus é morrer de nossos projetos pessoais e egoístas, de tantos planos, esquemas e cálculos puramente humanos e pessoais para dar o lugar para os projetos de Deus. Certamente, nesta morte é que Deus manifesta sua glória salvadora e sua eterna misericórdia.

P.Vitus Gustama,svd

Nenhum comentário: